27 anos depois... | Gazeta do Balão
27 anos depois…
Publicado em 22/02/2012 | 385321 Visualizações

Bom pessoal, segue mais uma história incrível envolvendo balões antigos. Desta vez, contaremos a história de pião carrapeta de 8,20 metros, um dos primeiros soltos em São Paulo na cidade de São Bernardo do Campo, Grande ABC pela Turma da Lua. Seguem fotos da primeira soltura:

A bandeira, embora simples, é ao mesmo tempo bastante original. Trata-se de uma árvore cortada, com um machado espetado em seu caule, porém do cabo do machado, surge um broto com novas folhagens.
O balão foi solto em 1985 e foi resgatado pelo Renatão ( Turma Simpatia do Coringa ). Quem o conhecia sabe que foi um personagem bastante folclórico. Os baloeiros mais antigos certamente se lembram dele, da sua inseparável jaqueta cor-de-laranja com o logotipo de sua turma, seus cabelos sempre desgrenhados e de sua inseparável motocicleta caindo aos pedaços.

Ele sempre foi um apaixonado por resgates, tendo em seu “curriculum”, a façanha de ter resgatado por três vezes seguidas o famoso 14×14 da Turma da Emenda (Boca de Ouro em 88):

14×14 solto em 1988 em Jordanésia, Cajamar

O Renatão tinha o estranho hábito de escolher alguns balões para ficarem guardados em um baú. Diversos balões ele resgatava e soltava algum tempo depois, porém outros ficavam guardados em seu famigerado baú. E com esse pião foi assim, o balão foi resgatado e foi direto para o baú.

Baloeiros mais próximos, sempre falavam com o Renato para que ele soltasse os balões que estavam no baú, mas ele permanecia irredutível, dizendo: “Deixe esses balões guardados lá !”
E assim o tempo foi passando, outros balões novos e resgatados foram soltos e esse pião ficava no baú.

No início da década de 2000, o Renatão veio a falecer. Passado este período, a bancada da Turma Simpatia do Coringa mudou diversas vezes de endereço e os balões que estavam guardados no baú ficaram vagando de um local para outro.
Em 2010, durante uma reunião de baloeiros onde estavam presentes integrantes da Turma da Lua e Simpatia, o assunto veio à tona e tiveram a idéia de solta-lo novamente. Conversa vai, conversa vem e o pessoal da Simpatia concordou em devolver o balão para a Turma da Lua, para que o mesmo fosse novamente solto.

O balão foi devolvido ao Odair (Lua), mas ele esta muito atarefado preparando um novo livro sobre balões e não tinha tempo disponível para se dedicar à restauração do pião. Eu (Chips), me propus a restaurar o balão, que apresentava visíveis sinais de deterioração causados pelo tempo, principalmente nas bainhas, que estavam todas trincadas, além de o papel estar bastante frágil em diversos pontos e estava faltando também um metro e meio do cone da boca.

Com a imensa ajuda do pessoal da Turma Contramão, o balão foi totalmente restaurado e surgiu a ideia de ser feita uma réplica da bandeira original. Novamente com a colaboração da Contramão, foi confeccionada uma nova bandeira utilizando uma foto da bandeira original como referência.

Neste domingo de carnaval ( 19/02 ), o balão foi mais uma vez aos céus. Subiu novamente de São Bernardo do Campo, passados 27 anos desde a primeira soltura.
Estavam presentes integrantes antigos e a nova geração de ambas as turmas. O Nelson (filho do Odair), que estava presente na primeira soltura em 1985, na época com apenas seis anos de idade, guiou o balão agora na segunda soltura. A emoção para todos os presentes foi bastante grande. No momento em que o balão subia novamente, todos se sentiram, por uma fração de segundos, como se tivessem entrado em uma máquina do tempo, retornando ao ano de 1985:


Pois é amigos, novamente o balão é protagonista de uma história e de uma sensação fantástica.

E vocês? Também sabem de balões guardados há muito tempo? O que acha de soltá-los novamente e contar-nos a sua história?

Gostou? Curta e Compartilha!
  • 52
    Shares

Mande seu Recado:

Copyright © 2006 / 2019 - Gazeta do Balão | Todos os Direitos Reservados - Permitida a reprodução com citação da fonte
error: Não copie, compartilhe!