Balão ame-o ou deixe-o | Gazeta do Balão
Balão ame-o ou deixe-o
Publicado em 18/08/2009 | 421350 Visualizações

Na década de 1970, o governo brasileiro, mais precisamente os militares, gastaram milhões de Cruzeiros em propaganda com o propósito de melhorar sua imagem junto ao povo. Os slogans dessa propaganda diziam: “Brasil, ame-o ou deixe-o” ou mesmo a música “Eu te amo meu Brasil”.

Passado todos esses anos, podemos destacar que nosso país é uma potência por natureza, a parte contrária como é do conhecimento de todos, e é coisa que não acontece somente aqui, é a violência e os políticos nacionais que legislam geralmente em causa própria ou de seus interesses.

Hoje, ela é retratada em nosso meio, como a repressão ao ato cultural de soltar balões, mas e a violência, prostituição, tráfico, alcoolismo que são tudo cenas de nossa vida real, acontece por aqui mesmo e não são reprimidas com tanta ênfase no dia a dia?

Como poderemos evitar sermos alvos de tanta campanha por parte da imprensa e órgãos do Governo?

Assim como outras atividades culturais, o ato de soltarmos balões não é perfeito e muita coisa precisa ser melhorada. Deixar de soltar balão, como alguns baloeiros apregoam e estão fazendo, também não me parece ser uma solução, além de ser uma “saída de covarde”, em minha opinião.

Acho que uma frase que poderia melhor substituir a esta do título – e que reflete bem a nossa situação – é “Balão: ajude a melhorá-lo ou não atrapalhe”.

Nos bate papos e locais de encontros eu vejo muitas pessoas reclamando da situação, mas pergunte o que elas fazem para melhorar a atual situação?

Ao contrário do que todos pensam, a galera pode, sim, mudar tudo isto, mas ela está ocupada demais reclamando ou tentando fazer um balão maior do que o da turma da rua, bairro ou estado vizinho.

O que me motivou a escrever este artigo foi A reportagem veiculada hoje em um canal de TV onde mostra a prisão de 53 baloeiros em todo o estado de SP, isto em um único dia(24/05) e também os incidentes acontecidos neste feriado(23/05)e Final de semana com os balões fogueteiros.

E sinto-me no direito de propor algumas soluções já declaradas por muitos mas feitas por poucos , relaciono abaixo :

– Evitar a soltura de balões nos meses de Maio, Junho e Julho ;
– Evitar o gigantismo;
– Evitar o Resgate tão propenso a danos e injúrias ;
– Desprezarmos a tão famosa e danosa disputa pela “Boca de Ouro” onde até o momento da premiação todos julgam-se amigos e merecedores do prêmio e após a divulgação dos vencedores , nós todos sabemos o que acontece;
– Trabalharmos melhor na questão da confecção e soltura dos Fogueteiros;
– Diminuirmos o tamanho limitando ao máximo a um 24 metros;
– evitarmos o comércio indiscriminado de materiais e balões já prontos;
– Pensarmos com profundidade e consciência na confecção dos balões solares sem fogo ( No RJ e SP já foram liberados 24 mts e 28m com bandeira )
– e com todo o saudosismo; voltarmos as décadas de 70/ 80 onde víamos nossos céus repletos de balões de 03 /04 metros mas ai virão os nada puristas e vão falar: balão pequeno também pode botar fogo em mata, também pode dar problema com fogos e eu responderei : tudo dependerá do nível de conhecimento e consciência de cada turma pois se não carregarmos no peso, se fizermos nossas pararacas com cuidado,carinho e pensando em somente expor nossa arte e não disputar algo,com tudo isto teremos com certeza menos índios comedores de papel em resgates danosos e imprudentes e menos problemas com as autoridades pois os danos quando ocorrerem serão menores .
Realmente devido a repressão e aos incidentes acontecidos com os balões fogueteiros já ouço baloeiros bons e amantes da arte falando em parar definitivamente .

Vamos dar um BASTA AO GIGANTISMO, AOS FOGUETEIROS E AOS RESGATES INCONSEQUENTES !!!!!!!

“Balão: ajude a melhorá-lo ou não atrapalhe”.

Gostou? Curta e Compartilha!

Mande seu Recado:

Copyright © 2006 / 2020 - Gazeta do Balão | Todos os Direitos Reservados - Permitida a reprodução com citação da fonte
error: Não copie, compartilhe!