O Casarão e suas Estrelas | Gazeta do Balão
O Casarão e suas Estrelas
Publicado em 14/01/2019 | 338344 Visualizações

Os balões estrelas, considerados Marias Pretas são um estilo de balão que nunca sai de moda. Desde os primórdios do balão junino, ele sempre esteve presente no mundo do balão.

Numa época onde o gigantismo era moda no Rio de Janeiro, as maiores turmas do estado sempre buscaram bater seus limites com os balões mais tradicionais como o Pião Carrapeta e o Mixirica ou Tangerina como chamam por lá, fato é que, até então, dezenas de balões acima de 40 metros foram feitos no Rio e somente os 2 piões de 70 metros de Paulinho Carrapato e sua turma Unida, ultrapassaram a barreira dos 60 metros.

Como dizemos no início da matéria, os balões Maria Preta sempre fizeram parte do mundo do balão por sua tradição e foi preciso uma turma de baloeiros da velha guarda se unir para ampliar essa galeria de gigantes cariocas.
A Casarão Méier é uma turma de muita tradição no Rio de Janeiro, formada por baloeiros de carreira, amantes dos balões juninos e foram eles os responsáveis por esse feito em junho de 1994, durante a Copa do Mundo com sua primeira “Estrelona” de 60 metros:

5 anos depois, em 07 de agosto de 1999, mais uma Estrela Gigante foi pros céus, desta vez com 54 metros foi solta:

Em 2011, mais uma Estrela gigante, desta vez com 40 metros:

Em comemoração aos 20 anos de sua primeira Estrela Gigante, em 2014 soltaram, durante a Copa do Mundo do Brasil, uma estrela de 50 metros:

É inegável o talento dessa turma durante toda a história com seus balões. Hoje, são poucos que amam os balões tradicionais do passado e com certeza, a Casarão Méier marcou seu nome na história com suas gigantescas estrelas.

Abraços a todos

Dinho GB

Gostou? Curta e Compartilha!
  • 84
    Shares

Mande seu Recado:

Copyright © 2006 / 2019 - Gazeta do Balão | Todos os Direitos Reservados - Permitida a reprodução com citação da fonte
error: Não copie, compartilhe!