Curiosidades sobre acidentes com aviões | Gazeta do Balão

Recentemente tivemos a triste notícia que um Avião da Malaysia Airlines que ia de entre Kuala Lumpur, na Malásia, e Pequim, na China desapareceu em pleno voo e provavelmente caiu no Oceano Índico.

Na madrugada de 8 de março de 2014, no horário local, a aeronave que realizava esta rota levando 227 passageiros e 12 tripulantes, desapareceu dos radares após aproximadamente uma hora de voo enquanto sobrevoava o Golfo da Tailândia, no Mar da China.

Até o momento do desaparecimento dos monitores de radar, a tripulação não relatou nenhuma anomalia com o voo. O sistema do avião também não enviou mensagens por satélite, o que deveria ocorrer automaticamente no caso de alguma falha.

Em 24 de março deste ano, o governo malaio comunicou oficialmente que o voo caiu no mar no Oceano Índico sem deixar sobreviventes. Segundo registros feitos por satélites, o avião voou por mais de 7 horas após desaparecer dos radares, com todos os seus sistemas de comunicação desativados.

ft_av_Airbus_A320_TAM_PT-MZL_TAM_Florianopolis_1

Na história da aviação mundial, ocorreram 17.369 acidentes (até 2009) – incluindo de jatos a aeronaves convencionais, de voos comercias a militares, de aviões de passageiros a de carga. Ao todo, 121.870 pessoas morreram e 93.624 ficaram feridas.

Em apenas 5,95% dos casos o mau tempo foi considerado a causa principal do acidente. A maioria foi causada por erro humano: 67,57%. Falhas técnicas responderam por 20,72%.

Causas de acidentes aéreos Erro humano 67,57%
Falha técnica 20,72%
Mau tempo 5,95%
Sabotagem 3,25%
Outras causas 2,51%
Fonte: Escritório de Registros de Acidentes Aéreos

De todos os acidentes, 27,73% ocorreram durante o voo, como aconteceu com o da Air France. A maior parte dos acidentes, 50,39%, no entanto, ocorreu no pouso.

Momento dos acidentes aéreos Durante o pouso 50,39%
Durante o voo 27,73%
Durante a decolagem 20,96%
Durante o taxiamento 0,64%
Durante o estacionamento 0,28%
Fonte: Escritório de Registros de Acidentes Aéreos

A maioria dos acidentes aéreos ocorre a menos de 10 quilômetros do aeroporto: 53,89%. Aviões caíram no mar, como no caso do acidente do voo 447, em 9,51% dos casos.

Local dos acidentes aéreos Menos de 10 km do aeroporto 53,89%
Em planície 15,96%
Em montanhas 10,44%
No mar 9,51%
Na cidade 1,17%
No deserto 0,44%
Em terreno desconhecido 8,59%
Fonte: Escritório de Registros de Acidentes Aéreos

O especialista em segurança de vôo do Snea (Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias), Ronaldo Jenkins, afirma que o país ainda é considerado um dos mais seguros na aviação comercial, com número de acidentes abaixo da média mundial, de 1,2 por milhão de decolagens. Segundo dados da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), a média de acidentes no país é de 0,87 por milhão de decolagem.

***Todos os dias 93.000 voos estão partindo de aproximadamente 9.000 aeroportos. Em todo o tempo há entre 8.000 e 13.000 aviões no ar.***

NÃO ACREDITEM O QUE A MIDIA FALA! a Rede globo esteve no festival de balões ecologicos dizendo que seria uma filmagem para uma matéria positiva dos balões ecológicos, mas na verdade só estavam afim de destruir ainda mais como o balão é visto pela sociedade, querem acabar até com os ecológicos, e comparar Baloeiros e traficantes, milicianos e outros tipos de criminosos, que é uma covardia.
O fato de ser criativo, colar papel, ser engenhoso e gostar de fazer arte jamais vai tormar alguem um criminoso, um drogado e fazer essa pessoa andar armada, soltar balão não é ser ganguista e baderneiro, é Ser um Artista! só no Brasil balões são crime, ajude acabar com essa visão da sociedade e compartilhe essa verdade!

 

Colaborou: Hudson – Anjos da Arte

Comentários:

  1. SONHOS E ARTE ITAQUA disse:

    nos baloeiros somos muito descriminado como marginais vândalos e vagabundos o que agente sabe que não é verdade
    mas a grande verdade é que agente artistas do papel só queremos reconhecimento de que somos honestos trabalhadores
    e a maioria um líder de família.
    na maioria das vezes o povo nos julgam por causa dos resgates muitos que nem baloeiros são tão no meio destruindo
    fazendo baderna invadindo casa de forma aterrorizante quebrado e deixando pessoas aterrorizadas temos que ter no minimo
    respeito pelo patrimônio do próximo se queremos respeito temos que dar o respeito em primeiro lugar pois se fosse na casa da gente não iriamos gostar essa é minha opinião

  2. nenhuma disse:

    poxa eu concordo plenamente.
    arrumaram um jeito q foi o balão ecológico e mesmo assim não valeu de nada
    eu também acho isso uma covardia porque os grandões la visam muito para o
    lado menos favorecido. agora tem muita coisa que e mil vezes pior que um balão
    ecológico e ninguém ver absolutamente!
    Sera o que acontece para nem si quer tocarem no assunto?

    (meus caros amigos baloeiros só estou por que já teve uma revoada de balão ecológico aqui perto da minha casa e eu vi que o balão ecológico não traz perigo algum. eu acho que deveriam olhar mais pelo lado de vocês por que vocês já arrumaram uma maneira de não prejudicar mais ninguém!)

  3. pablo t. humilde disse:

    temos que nos organizarmos nos resgates. a bagunça esta no resgate. por isso estamos sendo chamados de baderneiros marginais e etc..

  4. Cássio DINAMITE CAMPINAS disse:

    E qual a porcentagem de queda de avião por causa de balão? Essa midia nojenta estampa o que quer pra nos destruir.

  5. Diogo disse:

    Concordo plenamente. Os resgates são um problema gravíssimo entre a Arte!

Copyright © 2006 / 2017 - Gazeta do Balão | Todos os Direitos Reservados - Permitida a reprodução com citação da fonte