Evolução – SP | Gazeta do Balão

Nesta edição a Gazeta do Balão traz uma entrevista muito legal com uma turma nova, com menos de 5 anos que já marcou seu espaço na história com grandes trabalhos e o reconhecimento de todos os baloeiros, haja vista que já coleciona troféus nos principais campeonatos do mundo do balão: A turma Evolução de São Paulo:

GB – Como foi o início de vocês no mundo do balão?
Para todos da turma, o início no mundo do balão foi com familiares e amigos. Mais é claro que sempre estávamos comprando álbuns para buscar inspiração com os belos balões que turmas como Emenda, Cometa, Listagem, Albatroz, Zeppelin, Baloema, RWR, TZN, Saudade, Amizade, Alvorada, Guaimim, Paulistano, Porão, Gelo e diversas outras.

GB – Porque escolheram o nome Evolução e de onde vieram os integrantes?
(Borel) Tudo começou quando conheci o Alemão e decidimos fazer balão juntos, pois ele tinha parado de fazer balão na Magu Balões e eu já tinha passado pelas Turmas Alvorada e Borel. Então decidimos fazer um 18m fogueteiro diurno que era o sonho dos dois só que precisávamos de um nome e colocamos Turma Horto, ai veio o problema, pois o forro foi feito na casa do Alemão mais onde iríamos fechar o balão, foi quando o Julio (ex – Império do Morro) nos ofereceu a bancada, nem pensamos duas vezes.
Num determinado dia estava Eu (Borel), Alemão, Julio, Marcio, Marcelo na bancada e foi colocada uma idéia no ar, porque não fazer balão junto, pois já tínhamos um 18m sendo feito e a Império do Morro estava fazendo o Pião de 21m, todos ali aprovaram na hora a idéia só precisava falar com o Tota e Denis sobre a idéia onde não houve nenhum problema.
Então começamos a pensar no nome e ficou de cada um trazer sua idéia na semana seguinte através de votação logo de principio o Alemão falou Evolução todos já gostaram e já fechamos, pois é um nome forte.
Passado um tempo a turma foi criando amizade com a Turma GBT ainda mais quando foi para soltar o 18m fog. diurno que eles foram super importantes dando a maior força. Logo depois da soltura fiz uma proposta para o Alex, Marquinho e Noel de fazer balões juntos na Evolução, ficaram de falar com os outros integrantes e me ligar, passado um tempo o Marquinho ligou falando que estava tudo certo liguei para o Julio e Alemão falando que o pessoal da GBT iria fazer balão na Evolução.
Hoje a Familia Evolução é Alex, Alemão, Marcelo, Cama, Marcio, Marquinho, Tota, Guerá, Julio, Noel, Rodrigo, Denis, Ricardo, Cabecinha, Pequeno, Thiago e Borel.
Isso tudo começou em Maio de 2007.

GB – Quais foram os primeiros balões?
Os dois primeiros balões foram modelado de 18m fogueteiro diurno e o pião de 21m.

GB – Quais os principais balões soltos pela turma?
O Modelado de 23m fogueteiro noturno solto com a Raios do Sol, Pião de 21m, Pião 17,77m Matrix solto com a Raios do Sol, Modelado de 18m fogueteiro diurno, Modelado de 14m armação Monstros S&A solto com a Raios do Sol, Modelado de 12m Letreiro Claudia e Modelado de 13m Jair em homenagem ao Pai do Marquinho, Truff de 14m armação do Lobo.

GB: Entre todos alguns deles foi especial e teve um momento difícil na turma?

São dois balões em especial, truff de 20m fogueteiro noturno e modelado de 23m fogueteiro noturno. A história desses balões é de impressionar, pois guardava a carga do 20m cerca de 75dz de vara em uma das casas da minha vó, lá o terreno são três casas e essa onde estava os fogos é um sobrado pré-acabado onde ninguém morava então guardava no 2ºandar dentro de um dos quartos com a maior segurança longe do sol e fio de alta tensão e tudo bem embalado nas caixas de papelão e em sacos plásticos com a etiqueta de vinho(rsss).
Só que num determinado dia minha prima colocou os móveis da mudança dela todos no primeiro andar da casa e não percebeu que o colchão tinha ficado ao lado da tomada que não tinha o interruptor só os fios, esses fios deram curto e pegou fogo no colchão na mesma hora, um primo meu viu e tentou apagar só que já era tarde de mais, pois só ele sabia que tinha bombas na casa. Quando o fogo estava por toda a casa um amigo me ligou falando que a casa da minha vó estava pegando fogo. Na hora fiquei branco e em estado de choque. Logo perguntei: ” você escutou algum barulho de fogos? Ele disse que não mas que o fogo estava muito alto e em toda a casa. Liguei para o meu primo já no meio do caminho indo para casa e ele disse que não tinha explodido os fogos que era apenas a mobília que havia pegado fogo, mas que estava cheio de viatura e bombeiros no local.
Quando cheguei o fogo já estava controlado e todos da minha família salvos e então tomei a decisão de não falar sobre os fogos, pois já não tinha mais fogo no local então conversei com meu primo e decidimos tirar as bombas logo que pela manhã antes da pericia. Quando fomos pegar as bombas as caixas estavam todas torradas e cerca de 20dz das bombas tinha ficado derretidas e com pólvora em todo o chão, bastava uma faísca para acender tudo. Mas graças a Deus nada aconteceu.
Então arrumamos a carga e fomos soltar o Truff de 20m sabendo que o papel do balão não era bom mais cintamos ele de 10cm em 10cm. Quando o balão estava com as 7 gaiolas no alto e eu já estava com o isqueiro na mão para acender o teto do balão abriu e ele começou a perder muita pressão ai todos saíram correndo quando eu e o Cobrinha vimos o Alemão com o guia do balão  tentando puxá-la. Comecei a gritar para ele puxar e voltei para de baixo do balão com o Cobrinha e tiramos a gaiola do chapéu de baixo do balão que já estava terminando de roletar o papel e descer com fogo quase acendendo tudo. Mais novamente graças a Deus e o Alemão os fogos tinham sido salvos pela segunda vez.
Ficamos todos tristes mas logo veio aquele ditado popular entre os baloeiros: ” só acontece com quem faz”. Decidimos fazer um maior e com papel hulk. Nessa hora entrou a influência do nosso grande amigo DUDU – RAIOS DO SOL que correu atrás dos papéis e de quem poderia cortar o balão. Foi aí que conhecemos o Edu hoje na (TNT), um grande amigo de todos da Evolução que na hora, sabendo de tudo que tinha ocorrido decidiu ajudar. Ficamos dois dias inteiros na casa dele cortando o 23m e depois foi só fechar.
No final, o balão subiu direitinho e premiados com a BOCA DE OURO de 2009.

GB: Muitas turmas que ganham destaque com seus trabalhos, em muitos casos recebem muitas críticas, principalmente quando falham. Como lidam com essas críticas?
Graças a Deus essas criticas sempre foram administradas muito bem pela turma e vendo que tem fundamento, discutimos e tentamos melhorar, pois uma boa crítica pode virar uma solução.

GB: De todos os erros que aconteceram e vocês reconheceram, o que mais aprendeu com eles?
Aprendemos que errar é humano mais persistir no mesmo erro é burrice então sempre estamos soltando nossos balões com a maior segurança em cintamento, papel e antena, pois pecamos em dois balões: um truff de 20m que mesmo cintado muito bem, o papel não agüentou e a antena do truff de 10m que fechou.

GB: Você acha, não digo vocês, mas no geral muitos se preocupam mais em fazer bonito do que fazer direito?
Não diria em fazer bonito, pois fazer um balão bonito hoje com os recursos que temos é fácil o problema está em querer fazer o mais rápido possível para tentar soltar o quanto antes assim pecando um pouco na segurança.

GB: Existe alguma preferência em seus balões?
Gostamos muito de Armação, Letreiro e Fogueteiro.

GB – Qual o modelo de balão que jamais fariam?
Acho que Pingolbag, deixamos esse molde para nossos amigos do Infinito que sem duvida fizeram historia com o 32m.

GB: Teve algum projeto que quiseram fazer e ainda não foi possível?
Sim e espero começar ainda esse ano, um Pião de 33m.

GB: De onde tiram inspiração para projetar seus balões? Existe um líder ou todos opinam e ajudam com os custos?
Os projetos vêm de momento de cada integrante, pois na turma não existe um líder todos opinam e ajudam nos projetos que cada um tem como sonho. Temos mensalidade o que ajuda  a pagar as contas.

GB: Como nasceu a parceria com a Raios do Sol?
A parceria com a Raios do Sol nasceu de uma grande amizade que o Julio e o Alemão já tinham com o Dudu, Binho, Borão e Kiko, e acabou passando para todos hoje.
O Kiko foi morar no interior e como a bancada era na casa dele o DUDU acabou ficando só com sua famosa bancada de 80cm x 100cm e não teria onde finalizar os balões então o Julio conversou com ele e ficou definido que a Evolução iria ajudar o Dudu no processo final, que era fechar as placas, bandeiras e os balões mais sempre com o Dudu ajudando no fechamento também.

GB – Como viram a chegada da Lei que proibiu os balões em 1998?
Com muita tristeza é claro. A princípio achamos que só quem amava de verdade o balão iria continuar, mas os números de equipes aumentaram e isso fez com que a lei ficasse mais ativa, pois o numero de balões também aumentou então a TV aproveitou esse gancho e “acabamos” virando criminosos devido ao artigo criado pelos nossos gloriosos políticos.

GB – Como veem os balões de hoje em relação aos balões do passado?
Só calça arriada, nem da pra ver. Brincadeira! Com mais qualidade, segurança, definições de desenhos e a facilidade para fazê-los mudou muito depois do computador, “fio dental” e o durex deixou muito mais pratico a confecção dos juninos. Mas tem o outro lado. Hoje a facilidade é tanta que se compra o balão quase todo pronto ai perde o encanto de fazer todo o processo de montagem como era há 20 anos.

GB – Aproveitando que falou de 20 anos atrás, de  todas as técnicas desenvolvidas desde a década de 80 tanto na forma de fazer quanto em soltar um balão, em sua opinião, qual foi a mais importante?
De fazer é claro. Mudou muito e acabou facilitando a confecção, tanto que sempre aparece uma técnica nova e assim as equipes estão fazendo mais juninos e com mais qualidade.

GB – Participam de Resgates? Comente alguns que resgataram ou resgates que merecem ser lembrados.
Sim, Pois às vezes temos que gastar essa adrenalina que só o resgate promove. Ninguém resiste ao ver um junino caindo. Um dia saímos para ver a barrica da Nasa e ao sair do campo avistamos em modelado parado em cima do morro. Ficamos um tempo por lá só que ele não subia, então pensamos que não era soltura e fomos até lá. Incrível! O danado estava com a guia enroscada nas árvores e não tinha força para tirar, tivemos que esperar a boa vontade do vento aparecer por lá para arrastar o balão que tinha 15 mts. Não tinha como subir na árvore porque era muito fina e alta. O jeito era esperar o vento. Já viu baloeiro rezando pra ventar? Acredite se quiser, a bucha estava inflamada. Eu acho que ele queria ser da evolução kkkkkkkkkk…..

GB – Cite alguns balões de outras turmas que são inesquecíveis para vocês.
11×11 Gatunos, Truff 25m Emenda – Senna, 60m Jurema, 15×15 Lourival, Pião de 72m Lelo e Sandú, 32m Naypes.

GB: Uma história engraçada…
Estávamos eu “Alemão” e o Dudu (Raios do Sol) voltando de Ipelândia ou “iperlonge” como dizem, mas não me lembro qual era o balão que tínhamos ido ver. Na volta estávamos por dentro de Poá/Suzano e estava uma serração muito forte, tinha outros carros de baloeiros atrás de nós fazendo o mesmo caminho de volta pra São Paulo e um deles me lembro que era o carro da turma “RADAR”. Bom, estávamos passando por um bairro de Suzano e no meio daquela serração forte avistei por cima do muro de um terreno um vulto enorme do bico de um modelado como se tivesse abafado no chão com somente metade do balão cheio, ate então não havia comentado nada com o Dudu que estava do meu lado, conforme foi aproximando me deu a certeza que era um bitelo de um modelado abafado com aquele teto nas curvas de um modeladão, olhei pro Dudu e dei aquele grito (#%$&@$#) Dudu olha o bixão abafado dentro do terreno (gente era tão perfeito que o Dudu logo emendou “carakas e é grande”…rsrsrs)
Eu no piloto pisei fundo pra chegar mais perto nisso os carros atrás já começaram a procurar o que era também, quando cheguei perto joguei o carro pro lado da calçada, puxando o freio de mão naquela adrenalina “achando que ia pegar sozinho” nisso o carro da Turma Radar parou logo atrás também (obvio que eles também viram rsrs) saí do carro atravessando a rua correndo, me joguei no muro, consegui subir nisso mais pessoas também já subiram, Gente imaginem uns 5 caras no topo do muro com um minuto de silêncio um olhando pra cara do outro (com aquela cara de decepção…rs) logo viemos a cair na risada, rachamos de tanto rir olhando pra uma tenda de um circo que parecia ser um balão abafado dentro do terreno…kkkkk
Todo mundo com aquela cara de tacho abobado um olhando pra cara do outro todos sem graça e rindo ao mesmo tempo. Era somente uma tenda de Circo montada num terreno que no meio daquela serração forte nossas mentes férteis raciocinou, corre que é balão rsrsrs
Um dia ainda vou contar isso pros meus netos baloeiros…rs
Pessoal tenda de Circo não voa, acredita em mim (experiência própria) rsrs.

GB – Vocês nunca soltaram um balão de grande porte. Qual a opinião de vocês sobre o Gigantismo?
A turma em si gosta de balões grandes, porém nunca paramos pra pensar num projeto grandioso no tamanho “digamos assim”. Estamos sempre presentes nas solturas dos gigantes mas nunca nos vimos naquela situação de ter um “gigante” nas mãos. Todos os integrantes da Evolução têm muitos anos de balões, ou seja, experiência não falta, vontade também não. Somos muitos rigorosos nas nossas confecções, até porque no momento da soltura somos nós que vamos estar debaixo do balão, então não economizamos em nada, confecções, acabamentos, até adquirimos a respirar o teto dos balões com a intenção de aliviar a pressão onde é maior, tudo para garantir o bem estar do junino. No final do ano de 2011 em reunião com nossa turma resolvemos fazer um modelado de 30mts com uma bandeira de 55 x 70 que logo depois apareceu a oportunidade de um modelado de 35mts cortado no hulk azul que veio através de uma “rifa” rsrs. Ficamos alguns meses com esse balão guardado ate que decidimos vendê-lo e mudar todo o projeto para um Pião de 33m e acreditamos que este é o balão ideal para nós no momento. Esse projeto é uma vontade particular minha (Alemão) e do Borel de muitos anos, que ao longo do tempo de muita amizade sempre comentávamos em tom de brincadeira que íamos fazer um Pião de 30, lógico que a turma toda aprovou, o projeto é audacioso (Pião de seda), mas sabemos que pra chegar num junino deste porte tivemos que soltar muuuuuuitos juninos de 8 mts, 10 mts, 12 mts, 14 mts, 18 mts, 15 mts etc. Ficamos por muitos anos soltando balões abaixo de 20 mts, acho que é aí que entra nossa opinião:
tivemos que confeccionar muitos balões de pequenos e médios portes, aperfeiçoar muitos detalhes pra um dia chegar a pensar num balão de grande porte. Acho que todas as grandes turmas que tiveram seus “gigantes” um sucesso, foi porque passaram por muitas experiências com balões menores e com a Evolução não esta sendo diferente, pois hoje sim sentimos a confiança e a segurança que estamos prontos para encarar um projeto audacioso que se encaixa no “Gigantismo”.

GB – Nos últimos anos, sempre vem ganhando Bocas de Ouro? Quais são os títulos?
Modelado de 23m fogueteiro noturno de ouro em 2009 – SP
Modelado de 14m (Monstros S.A.) Armação de Prata em 2010 – SP
Modelado de 13m Letreiro de Ouro em 2011 – Campinas
Truff de 12m Letreiro de Ouro em 2010 – Campinas

GB: No que mudou na turma após a Boca de Ouro?

Nada. Depois de algumas conquistas continuamos com a mesma dedicação de antes.

GB: Teve alguma Boca de Ouro que não ganharam e acreditam que mereciam?
Teve dois balões que achamos injusto não ter ganho: o Pião de 17,77m do Matrix que perdeu Boca de Ouro para Fantástico e o outro foi fogueteiro diurno 18m, que perdemos para a Alegria, mas o que importa é que depois de ter perdido para Alegria nasceu uma grande amizade entre as turmas.

GB: No seu ponto de vista, o que a Boca de Ouro traz de mais importante para o mundo dos balões?

Isso faz com que os projetistas trabalhem mais a imaginação, assim os juninos vão ficando cada vez mais definidos em relação aos desenhos deixando a disputa mais emocionante e todas as turmas querendo cada vez mais fazer balões bonitos.

GB: E de negativo?

Quem não sabe brincar, não brinca. Além de saber perder tem saber reconhecer o mérito do outro que sempre tem o seu valor. Quebrar tudo no resultado final é falta de esportividade.

GB: Continuando a falar de Boca de Ouro, em suas opiniões, o que mudariam?
Achamos que as votações poderiam ser abertas, pois uma coisa que é feita correta não precisa ter medo de mostrar para todos que estão querendo aquele troféu. O que nos faz concorrer é saber que tem mais uma festa pra ir encontrar os amigos e tomar algumas geladas e no fim sair com um troféu bonito para colocar na bancada.

GB – Qual o nível de segurança dos balões hoje de 0 à 10 e por quê?
É complicado classificar um grau de segurança, isso tem muita influencia de como a turma monta um balão, nos procuramos usar todas as informações possíveis sempre perguntando e utilizando material de qualidade, pra evolução seria 10 o nível, nunca carregamos no peso, isso tbm ajuda a sair tudo perfeito.

GB – 3 turmas ou pessoas que merecem ser lembradas pela Turma Evolução:
Não podemos só falar de 3 turmas ou pessoas, pois nossa amizade no balão é muito grande, mais sempre em especial existem algumas pessoas que convivemos quase que diariamente, Renatinho (TVR e todos da Turma), Edu (TNT), Viola(Listagem), Dudu e Binho(Raios do Sol), Junior Boy, Politchuk, Dinho(GB), Turmas Sonho e Liberdade, Juventude e Borão, Joia Rara, Sonic & Curtição, Infinito, Pirani, Estrela Cadente, Relógio, 100%, Alegria, Guaimim, TIB, Explosão e Magia, Comando Oeste, Balouquinhos, Adriano(Atividade), Equipe Gil, Polaco-PR, Muvuca, Evolução-PR, Elite-PR, Aperto-PR e varias outras.

GB – Como veem os balões ecológicos? Acreditam que um dia poderão ser regulamentados e os baloeiros se adaptariam a essa nova prática?
Acho que é uma pratica valida porque querendo ou não é balão do mesmo jeito. Se no Rio de Janeiro foi regulamentado, porque que aqui não pode ser. Achamos que esse será o futuro do balão porque do jeito que está às coisas todos terão que se adaptar.

GB – Em suas opiniões, o principal fator que prejudica a nossa imagem quanto à sociedade é o resgate ou os balões fogueteiros?
Apesar de balões fogueteiros serem perigosos por natureza, pelo fato de manusearmos material explosivo, o que realmente queima a imagem do balão é o resgate, devido pela bagunça que é causada no local da queda, uma atividade que teoricamente deveria dar segurança ao local é destruída por vândalos que agem em nome do balão, ninguém gosta de ter sua casa invadida, sua telha quebrada.

GB – O que você acha que poderíamos fazer para mudar a imagem do baloeiro e do balão?
Primeiro de tudo parar de invadir as casas e achamos que poderiam organizar exposições para a população. Com a chegada da lei de liberação no Rio de Janeiro e esperamos que logo em São Paulo, fazer demonstrações nas escolas e mostra que Balão é cultura e não um crime.

GB: Onde você acha que os baloeiros mais erram?
Com certeza erram no calculo de peso, hoje tudo é facilitado pra fazer medições de peso e algumas pessoas simplesmente ignoram isso, porque balão de fulano tirou tanto de peso o meu vai tirar mais e assim a merda ta feita.

GB – Pra finalizar, o que significa pra vocês, a palavra BALÃO?
A palavra BALÃO para todos da turma significa Amor, Vida, amizade, tradição de família, dedicação, superação e respeito.

GB – Faça seus agradecimentos.

A família Evolução gostaria de agradecer primeiramente a Deus e a todas as esposas, Camila, Juliana, Patricia, Luciane, Claudia, Thalita, Monica, Debora, Juliana, Katia, Rafaela, Raila, Marcela, pois sem elas essa turma não seria nada, que agüentar os maridos o tempo todo falando de Balão e indo na bancada não é fácil.
E Dinho muito obrigado pelo convite, pois podemos falar sobre essa família chamada EVOLUÇÃO.

Comentários:

Copyright © 2006 / 2018 - Gazeta do Balão | Todos os Direitos Reservados - Permitida a reprodução com citação da fonte