Edição 17 - Luar da Vila Sônia | Gazeta do Balão
Edição 17 – Luar da Vila Sônia
Publicado em 07/01/2019 | 272211 Visualizações

Publicada na edição 17 de Janeiro / Fevereiro de 1992:

GB: Vamos Iniciar perguntando aos nossos amigos as origens do grupo…

LVS: Desde pequeno eu (Edinho), sempre gostei de balões. Depois formamos um grupo de 5 amigos e fazíamos alguns balões só pra descontrair. Meu avô sempre gostou de fogos e a gente de balões. Ligando uma coisa a outra, em 1983 montamos a turma, e a origem do nome vem do bairro onde moramos e também de uma canção de muito sucesso chamada Luar de Vila Sônia. Temos atualmente 25 componentes, mas quem realmente confecciona os balões são eu (Edinho) e o Bia. Os outros componentes ficam com outras tarefas do grupo.

GB: Agora, o primeiro balão, a primeira emoção. dá pra lembrar?

LVS: Esse a gente nunca esquece. Foi na inauguração da turma dia 03 de agosto de 1983, quando soltamos um 6×6 com uma armação de Coração. Que saudades !!!

GB: Vamos relembrar os primeiros balões soltos pela turma…

LVS: Em 1983: 6×6 com armação “Coração” e outro 6×6 com armação “Mão Segurando a Lua”, em 84: 8×8 com armação “Mapa de São Paulo”, um 4×4 com armação “Ursinho”, outro 4×4 com armação “Ursinha”, 6×6 com armação “Simbolo das Olimpíadas”, em 1985, um 6×6 com armação “Mão Segurando uma Cruz”, um 5×5 com armação “Coração” em homenagem ao dia dos Pais, um 7×7 e 2 5×5 fogueteiros. Em 1986, soltamos um 6×6 com armação “Aniversário da Turma”, 7×7 com armação “Surfista”, um 6×6 com armação “Mulher Nua”, 5×5 com armação “He Man” e um 8×8 fogueteiro noturno com lâmpadas alimentadas por uma bateria de carro. Em 87, um 5×5 com armação “Arara”, 6×6 com armação “Asa Delta” e um Pião de 8m. Em 1988, um Pião de 14m e o 9×9 com bandeira que ganhou a Boca de Ouro. Em 1989, outro 9×9 com bandeira que nos trouxe o bi-campeonato e a posse do Troféu Definitivo da Boca de Ouro. Também soltamos um 7×7 com armação “Pierrot”, em 1990 um 9×9 com armação “Amazônia Vida” e em 1991 um 6×6 com armação “Pomba da Paz”.

GB: Desde a fundação a turma está em franca atividade. Apesar de tantos balões soltos, sempre tem um que, por algum motivo, marca. E com vocês, qual foi?

LVS: Como disse, por algum motivo, um balão jamais é esquecido. Com a gente não seria diferente. Foi o 9×9 com bandeira “Capela Cistina” que nos deu nossa primeira Boca de Ouro em 1988.

GB: Já conhecemos as origens, os balões soltos, a grande emoção mas, sempre acontece um fato pitoresco na história de cada um. Vamos descontrair?

LVS: Esse caso já faz um bom tempo. Foi quando subiu um balão da Amigos do Barão em São Caetano do Sul. Estávamos todos prestigiando a soltura quando, de repente, próximo ao local, caía um 4×4. Como nunca tínhamos ido em resgate, fomos tentar, só que o balão que é bom, nada !!! Não pegamos ele e ainda saímos todos quase aleijados. Um cortou a mão, outro quase fica sem braço e o outro quebrou o pé. Apesar do estrago, fomos todos felizes para o hospital. Sabe porquê? Foi a polícia que nos levou pois não tínhamos nem ideia de onde estávamos, pode?

GB: Fale um pouco sobre balões de porte e menores.

LVS: Entendemos que cada um deve fazer o que quer e o que gosta, desde que seja no mínimo, consciente e responsável. Temos 9 anos de turma e só agora vamos para um balão de grande porte que é um pião de 35m que já está cortado.

GB: Resgates?

LVS: Vou ser bem claro. Acho uma IGNORÂNCIA. Nós não participamos. O que vocês acham? Tem condições de sairmos pra resgate? Realmente é complicado, mas estamos observando que está acontecendo uma sensível melhora. O baloeiro hoje, parece ter entendido todo o mal que certas situações podem trazer para todos nós.

GB: Vamos falar agora um pouco sobre festivais…

LVS: No meu entender, outro lado negativo. Não tenho nada contra, em absoluto. Mas se você acompanha os festivais, vai perceber que tem muita gente levando balões brancos, ou quase brancos, coloca algum barulho embaixo (muitos sem a mínima noção em fogueteiras) solta, e vai pegar o troféu de participação. Culpados? Parece claro.

GB: Boca de ouro. Já teve grandes momentos e hoje gera polêmicas e parece esvaziada…

LVS: Eu acho que a partir do momento que pegamos para nós a responsabilidade de realizar a Boca de Ouro que desde 1986 chama – se Incentivo aos Baloeiros, foi só aí que começou a ter sentido. Só pra ter uma ideia, teve turma que ganhou o antigo troféu antes da organização passar para nós, que até hoje, nunca recebeu o troféu. No Incentivo aos Baloeiros, os troféus são todos entregues aos vencedores e nossos troféus estão prontos até 1993.

GB: Como você vê o balão hoje e qual o seu destino?

LVS: Balão pra nós hoje é alegria, festa. Posso estar enganado, mas acho que o futuro do balão terá como base a eletrônica. Eu vou fazer balão até morrer !!!!

GB: Mensagem Final:

LVS: Aproveitando que estamos no começo de ano, desejo a todos os membros da GB e aos baloeiros em geral, um feliz ano novo cheio de saúde e claro, com muitos balões.

Gostou? Curta e Compartilha!
  • 13
    Shares

Mande seu Recado:

Copyright © 2006 / 2020 - Gazeta do Balão | Todos os Direitos Reservados - Permitida a reprodução com citação da fonte
error: Não copie, compartilhe!