Os respiros nos balões e seus benefícios | Gazeta do Balão

Muitos baloeiros carregam dúvidas a respeito de qual a maneira correta de vazar os respiros nos balões e sua quantidade, devido estas dúvidas estaremos preparando uma tabela específica, para orientar todos os baloeiros iniciantes ou experientes para melhor desempenho, é certo que nem sempre uma tabela corresponde as necessidades reais, mas pelo menos auxilia em momentos de grandes dúvidas.

1

Mais antes temos que saber qual a verdadeira teoria dos respiros e sua finalidade. Muitos acreditam que os respiros funcionam para entrada de oxigênio para alimentar o fogo da bucha ou tocha, mas na verdade é o contrário os respiros servem para saída de fumaça produzida pela bucha, a entrada de oxigênio é feito pela boca, como sabemos as buchas são feitas de algodão, estopa ou papel higiênico misturada com parafina derretida, essas em chamas produzem uma grande quantidade de ar quente juntamente com fumaça devido  um combustível produzindo está chama.

Com o decorrer da queima da bucha, ocorre um grande acumulo de fumaça e ar quente dentro do balão como o ar quente é muito mais leve que a fumaça e principal responsável pela pressão do balão, permanece nas partes superiores do balão e a fumaça como é mais pesada no decorrer de seu acumulo ela vai descendo e antes de atingir a chama da bucha ela vaza pelos respiros laterais, mantendo sempre a bucha oxigenada pela boca e fazendo com que a chama aumente proporcionando grande força de carga no balão, no caso de balão com pouco respiro está fumaça atinge a chama da bucha fazendo a quantidade de oxigênio diminuir, e com isso o fogo diminui, o famoso “abafa”, porque onde o oxigênio é pouco o fogo tende a diminuir e com isso menos produção de ar quente, e menos pressão.

Este exemplo já podemos ver em vários balões de turmas famosas inclusive, mas não iremos citar nomes, para não compromete-las mas estive presente em balões gigantescos onde o mesmo estava erguendo a carga com facilidade e derepente escureceu e não puxava mais nada, com certeza abafou, e também houve balões que soltava uma fumaça assustadora devido a grande quantidade de respiros e sempre com pressão e cada vez mais.

Isto é fato onde muitos presenciaram, os respiros sempre devem ter uma atenção especial, na dúvida aconselho a colocar um pouco mais, porque uma grande quantidade de respiro não traz problemas, e sim proporciona bastante pressão para o balão a carregar seu objetivo, único problema é que uma grande quantidade de respiro faz com que a bucha queima bem mais rápido.

Até o fim dos anos 90 era muito comum reforçar esses furos. Acredito que muitos lembram dos respiros com reforço:

2 (2)

Como tudo naquela época, o conhecimento sobre até onde um balão poderia chegar fazia com que os baloeiros tivessem excessos em relação a segurança e, “fazer” furos num balão era considerado um risco dele explodir, por isso criaram os reforços que era feitos com um material mais grosso, quase uma cartolina e eram colados, um a um sob os furos. Assim como o cintamento de papel, muita gente aproveitava pra decorar os balões, fato que sempre havia um balão azul, vermelho ou verde cintado e com reforços de respiros barncos. Também, na década de 80 se tornaram comuns os reforços de papel laminado em formato de estrelas. Hoje é raro de vermos, mas tem gente que ainda usa os reforços.

2

Hoje muitas pessoas não respiram seus balões acreditando que o papel de seda, papel mais utilizado nos dias de hoje respira. Na verdade, por ser de uma gramatura menor em relação aos papéis Kraft e Hulk, ele permite sim que a caloria se dissipe mas como vimos, os respiros não servem pra expelir calor e sim monoxido de carbono proveniente da queima da bucha, portanto, mesmo que seja de papel de seda, respire seus balões.

Desenvolvemos uma tabela explicativa com uma média de respiros ideais para cada tamanho de balão:

2

Todas estas informações foram desenvolvidas através de muita experiência, consultas  e depoimentos de baloeiros mais antigos. Todo desempenho do balão, principalmente de grande porte, não depende somente dos respiros e sim de bucha e confecção bem feitas aliadas a escolha do dia ou noite ideais.

Os baloeiros mais experientes costuma respirar os balões acima da bucha até um pouco abaixo do meio do balão. Não devemos colocar respiros no meio do balão, pois ele perderá pressão.

Também não devemos colocar próximo à boca, pois se seguramos na guia e houver um vento, o papel entrará junto ao fogo, como já presenciei, além de queimar mais a bucha.

O local ideal é um metro abaixo do meio e um metro acima da bucha. Para isto calcule a altura da aranha.

Qual o tipo de respiro ideal para cada tipo de balão?

Para balões horizontais do tipo Zeppelin, baseando-se nos estudos de Santos Dumont, os respiros ficam nos bicos. Basta um tubo nos bicos para o ar sair. Hoje, é muito comum ver balões com os bicos abertos ou com respiros no bico. Repare que, nestes casos o fogo fica centralizado. Fica reto tal como nas lamparinas. Não há estudo sobre isso, somente observações. Já tentei colocar muito peso num balão pequeno, com bico aberto, e ele subiu naturalmente levando o peso.

A história que eu sei de um balão de 24 metros, de papel de seda, subiu em São Paulo e caiu no Rio de Janeiro, com a bucha totalmente apagada. Só com o primeiros rolos chamuscados de fogo. Acredito que esse balão entrou numa altitude onde o oxigênio era pouco, por isso que a bucha apagou.

Para respirar seus balões corretamente utilize um vazador. Estes vazadores, são facilmente encontrados em lojas de couro.

1

Coloque o balão no chão e uma madeira por baixo. Marque os locais dos respiros com canetinha mantendo fileiras paralelas e com distância mínima de 20 cm e máxima de 50 cm.

Depois venha com um martelo e vá furando com cuidado.

Em balões pequenos de seda, pode até usar furador de escritório.

É isso ai. Espero que essas dicas lhes ajudem a soltar balões com segurança e consequentemente cairem apagados não causando transtornos e acidentes.

Sergio Braghittoni – Colaborador da GB

Comentários:

  1. matheus niterói disse:

    sem dúvida o assunto é de enorme importância para os baloeiros que estão iniciando nessa prática,de todo cuidado é pouco,por isso gente antes de começarem algo sempre se informem com os mas experientes ,balão é arte que merece sempre se preservada então pessoal vamos fazer de tudo para que não se tenha uma má impressão do junino ……

  2. Adauto - AGUIA REAL Z/Sul disse:

    Muito boa a matéria e a observação do Matheus de Niterói também. Molecada que está começando procure sempre os mais experientes para te dar uns conselhos, pois na hora do aperto esses conselhos sempre fazem a diferença.

  3. turmalao disse:

    showwwwwww dinho boa materia tira a duvida de muitos irmaos da arte valeu irmao .

  4. jadeson t.tormenta disse:

    gostei deça esplicação sobre respiro isso ira ajuda muita gente tenho sertesa principalmente quem ta começando agora, principalmente eu muito obrigado

  5. T. Retalho disse:

    Poooo, muito show essa matéria, sou das antigas e afirmo todos esses detalhes que vc mencionou ai.

    Muito bom seu conteúdo, me ajudou bastante a esclarecer algumas duvidas, que quando perguntamos aos mais experientes ninguém da certeza alguma, mas agora com esse seu trabalho fica tudo mais claro.

    Continue ajudando a todos, sua pagina é 10.

    Abraços

    Diogenes

  6. curitiba disse:

    Tem um truff de 12mts fogueteiro com copa aberta…tenho que bater respiro ou vai só com o da copa?

Copyright © 2006 / 2017 - Gazeta do Balão | Todos os Direitos Reservados - Permitida a reprodução com citação da fonte