Edição 01 - Saudade | Gazeta do Balão
Edição 01 – Saudade
Publicado em 08/01/2018 | 401367 Visualizações

Publicada na edição 01 de Agosto de 1990

Turma da Saudade – Pirituba – São Paulo – SP

GB: Como nasceu a equipe:

TS: A Turma nasceu das festas juninas e dos balões de seda soltos na casa dos irmãos Décio e Dirceu que eram realizadas no fundo do quintal entre 1963 e 1980. A ideia de se formar uma turma veio com uma exposição de pôsteres de balões do Rio de Janeiro feita numa agência do Banco Real na Av. Paulista em 1980. A ideia foi reforçada com outra exposição, mais abrangente sobre balões intitulada: “Balões, Arte do Fogo e do Ar”, realizada na Casa das Retortas, também em 1980. Em 18 de junho de 1981, nasceu a Turma da Saudade, data de seu 1º Festival, e a origem do nome está em que nessa época, já era comum dizer: “que saudade de alguns anos atrás, dos balões, das fogueiras”.

GB: Quais os primeiros balões?

TS: O primeiro balão, subiu em 18 de junho de 1981. era um 4×4 com armação. Depois vieram um 6×6 fogueteiro, um 5×5 armação, entre outros.

GB: Alguma curiosidade no início da turma?

TS: Temos um caso pitoresco. Aconteceu com um 5×5 armação com um desenho de uma Santa, solto pela 1ª vez em fevereiro de 82, que resgatamos em Cotia. Soltamos a segunda vez, também com armação, desta vez com o símbolo da turma em junho de 82. Resgatamos novamente em Quintaúna, um bairro de Osasco. Soltamos pela 3ª vez em outubro de 1982 com fogos mas, desta vez não tivemos notícias do mesmo. Hoje em dia, é praticamente impossível acontecer isso, pois dificilmente resgatam um balão inteiro.

GB: Qual o tamanho médio dos balões já lançados?

TS: Não temos um tamanho de preferência, já que soltamos desde um 3×3 até um pião de 34m. Soltamos um 13x2x8 com armação, vários 3 e 4 folhas, alguns 6 folhas, 3 8×8 sendo dois fogueteiros e um armação, 2 9×8 com armação, um 10×10 com bandeira e fogos, vários piões de 5 a 10m, um pião de 12m, 1 Golfier de 12m e vários outros que fogem da lembrança, sem contar a infinidade de balões de seda.

GB: Participaram de festivais? Qual sua opinião sobre esses eventos, troféus?

TS: Participamos apenas dos Festivais da Turma da Lua, mas sempre sem competir, pois nunca gostamos de competição. Realizamos 7 festivais. Troféus? ganhamos alguns. Sobre a intenção de se promover eventos dessa natureza, que se faça com bom senso e sem competição, dando premiações a todos os participantes, tem grandes chances de sucesso.

GB: Qual o balão mais importante na vida da turma?

TS: É difícil dizer qual foi o balão que mais marcou a Turma da Saudade, pois cada balão tem um significado para um elemento da turma. Temos, pela ordem: 5×5 armação em 82, um 8×7 fogueteiro em junho de 83, o pião de 24m em julho de 83, 9×8 armação em agosto de 83, 9×8 dos Gladiadores em 1984, 10×10 com fogos e bandeira do Cristo em 84, 8×9 Armação: “Criação do Universo” em 85, 13x2x8 armação: “Fauna e Flora” em 87, o Pião de 34m em 1988 e outros que marcaram menos.

GB: Fale um pouco sobre balões de porte e menores.

TS: Todo balão, seja ele pequeno ou de porte, quando é bem confeccionado e lançado com responsabilidade e técnica, tem grandes chances de subir perfeito. Não criticamos quem faz balões enormes, desde que os façam com bom senso.

GB: Resgate?
TS: Sobre resgate, não temos opinião sobre isso, pois a maioria dos componentes da Saudade, hoje em dia, não vão atrás de balões.

GB: Mensagem Final:
TS: Em 1991, a Turma da Saudade comemora 10 anos de existência e desde já, esperamos contar com a presença de várias turmas para nossa festa. Para o início do ano que vem, daremos mais detalhes sobre isso. Ao mesmo tempo, os nossos votos de sucesso neste novo noticiário sobre balões e um grande abraço.

Esta entrevista foi realizada no mês de julho de 1990.

Gostou? Curta e Compartilha!

Mande seu Recado:

Copyright © 2006 / 2020 - Gazeta do Balão | Todos os Direitos Reservados - Permitida a reprodução com citação da fonte
error: Não copie, compartilhe!