Edição 19 - Zeppelin Suzano | Gazeta do Balão
Edição 19 – Zeppelin Suzano
Publicado em 12/01/2019 | 346320 Visualizações

Publicada na edição 19 de Abril de 1992

Nosso objetivo nesta entrevista é mostrarmos a nossa comunidade uma região da Grande São Paulo que pelos seus trabalhos apresentados, começa a despontar com balões de alto nível de competição com as demais regiões de nosso estado.

A história que vamos conhecer é de um grupo responsável pela realização de diversos eventos na região. Apresentamos a Turma Zeppelin de Suzano – São Paulo.

Participaram da Entrevista: Pela Zeppelin: Denilson e Inês. Pela GB: Elenice – Agradecemos a Turma da Revenda pelo apoio nesta entrevista.

GB: Chegamos na sede da Turma levados pelo Jonas da Turma da Revenda e já nos sentimos em casa, porque este pessoal realmente é uma grande família. Com balão na bancada pronto, bandeiras, posteres e fitas de vídeo por todos os lados, nos acomodamos e partimos para a pergunta tradicional: as origens do grupo…

TZ: Tudo começou em 1984/1985 quando o Sr. Wilson e seus filhos Denilson e Adriano corriam atrás dos balões. O tempo foi passando, mais e mais balões apareciam, turmas também e o Sr. Wilson e sua esposa Inês (que maçarica balão e se chamar de Dona ela briga) mais os seus filhos, resolveram montar sua própria turma. O chefe da família, fã do dirigível Zeppelin, reuniu todos e pediu para cada um escolher e escrever um nome num papel para fazer um sorteio e escolher o nome da turma. Feito o sorteio e adivinhem qual o nome escolhido? Zeppelin… – Alguém falou no meu ouvido que o chefe estava com o seu papel entre os dedos. Entende-se… sendo de resgate, o chefe já tinha as manhas… mas tudo feito democraticamente, igualzinho sorteio de resgates. (Risos)

Após esse “rigoroso” sorteio, nasceu no dia 09 de maio de 1986 a Turma Zeppelin com as cores vermelho, verde e preto. Mais tarde, alguns amigos e vizinhos começam a participar com a gente e hoje nosso time é composto de 18 pessoas.

GB: E o primeiro balão? Também foi democraticamente escolhido pelo chefe?

TZ: Não, (o pessoal não parava de rir) este foi um 3×3 fogueteiro solto em junho de 1986 em homenagem a nossa caçulinha a Paulinha.

GB: Como recordar é viver, vamos relembrar os principais balões soltos por vocês…

TZ: Poxa, isso muito bom, mas vamos lá: 4×4 decorado e fogueteiro no Festival da Coração de Poá, Bagdá de 8m fogueteiro, 7×7 fogueteiro, 6×6 bojado e fogueteiro, bagdá de 8m com decoração “Jesus Cristo” solto em 1989, em 1990 soltamos um 7×7 com armação “São Sebastião”, em 1991 mais um bagdá de 10m com bandeira (que é capa desta edição da GB) e participamos do Festival dos Anjos com um 3×3 lindão.

GB: Mas tem um que sempre marca a turma, com vocês também aconteceu?

TZ: Olha, essa pergunta me deixa arrepiado. Foi o 3×3 solto no Festival dos Anjos. Gente, foi tudo tão perfeito, deu tudo tão certo que todos nós choramos de alegria e emoção. Esses momentos ficam na memória, unem o grupo, é o lado positivo de tudo…

GB: Vocês soltam balões, promovem revoadas, tem mais festividades?

TZ: Realizamos sempre uma festa para as crianças em outubro. E é aqui na rua, tem brincadeiras, muitas turmas soltam balões e a criançada se diverte muito.

GB: Agora alguma coisa engraçada que aconteceu com vocês, um caso pitoresco?

TZ: Essa foi de matar! Na nossa revoada em 1989, fomos soltar um 4×4. Maçarica, boja, beleza! Até aí tudo bem. Pega a bucha e alguém fala: “Não veio!” e outro grita: (VAI BUSCAR CORRENDO). A sorte é que estávamos perto da sede. Chega a bucha, a coloca no balão, acende. Na hora de por as guias, alguém fala: “Não veio!”, agora já desesperado alguém grita “PQP, VÁ BUSCAR VOANDO”. Acredite se quiser, mas deu tudo certo. Hoje rimos!

GB: E nós também, mas uma curiosidade: Quem começou os balões nesta região?

TZ: Olha, quem realmente trouxe balão para cá foi o Toninho conhecido como Barba. Um dia ele ganhou um sorteio e nós gritamos: “o Barba ganhou!”, só que ele tinha raspado a barba e você imagina a encrenca que deu? Mas foi ele mesmo que começou tudo por aqui, agora a coisa pegou no breu quando o Arnaldo (distribuidor da GB) abriu uma loja de material em 1987. Já o 1º Festival? Se eu não me engano, foi da Turma Escorpiões da Noite de Ferraz.

GB: Agora resgate, como andam as coisas aqui no pedaço?

TZ: É igualzinho a todo lado. Tem gente que só vai pra brigar, não dá pra entender. Tentamos fazer uma reunião e discutir o assunto. Ficou só na vontade. Ou muda ou acaba.

GB: Gigantismo…

TZ: É pra quem tem experiência. Não podemos negar que balão grande é emocionante.

GB: Agora Festivais, o que você pode nos falar sobre esses eventos?

TZ: Somos a favor dos festivais.  Organizados, sem fogos e em áreas abertas. Quanto ao que acontece hoje é que é triste. Muito balão branco só pra pegar troféu de participação e quando você trabalha no balão surgem as famosas panelinhas. Esse é o motivo pelo qual nós não participamos mais de festival, pelo menos em nossa região. Aqui só ganha os amigos.

GB: Já que falamos em festivais, vamos ao mesmo tema. Sabemos que vocês vão realizar este ano a Boca de Ouro da região. Em primeiro lugar, qual a experiência que vocês tem pra realizar um evento com este nome que já tem a sua tradição?

TZ: Sinceramente temos consciência que não temos experiência suficiente para realizar um evento com esse nome. O que vamos fazer é uma grande festa com turmas desta região para confraternização “usando” o nome Boca de Ouro.

GB: Até aí tudo bem, apesar de entendermos que este nome deve ser mais respeitado, não só por vocês, mas pelos outros também, você me disse que fez duas revoadas “Sem competição”  então, quem vai julgar os balões deste evento?

TZ: Somos nós, mesmos.

GB: Estamos trabalhando para que SP tenha apenas uma Boca de Ouro. Com essa iniciativa você não acha que vai embolar ainda mais as coisas?

TZ: É, pode ser. Acho que devíamos parar com tudo e fazer uma só, mas com pessoas competentes pra não acontecer as injustiças que ocorrem em SP e no ABC.

GB: Festivais, Boca de Ouro e a GB lança em 1992 o Projeto Art 90. Qual a opinião de vocês sobre essa nova fórmula de campeonato?

TZ:  Acho um esquema super bom e com certeza vamos participar. Parabéns pela iniciativa!

GB: Agradecemos e mais uma pergunta: Como anda a programação de vocês?

TZ: Vamos abrir nossa Revoada de 10 de maio próximo com uma Bagdá de 20m com bandeira e um 8×8 fogueteiro. Temos um 4×4 fogueteiro para abril, outro 4×4 e um 6×6 que levarão bandeira e um 5×5 que será para armação.

GB: Espaço livre…

TZ: Aproveito para convidar todos baloeiros para nossa III Revoada Diurna que será realizada no dia 10 de Maio de 1992 em comemoração ao nosso 6º aniversário. O local é no Campo do Barrerão na rua Armando Sales aqui em Suzano. Quanto a nossa Boca de Ouro, gostaria de dizer para todas as turmas que a mesma é para incentivar a nossa região. Será uma brincadeira gostosa que todos deveriam participar, porque se fosse outro que estivesse fazendo, nós com certeza iriamos participar. Quem entender que o regulamento esteja errado, que vá participar na Capital ou no ABC, se eles deixarem é claro. Fizemos um regulamento rigoroso para termos um resultado certo e sem as famosas panelinhas. Falou moçada?

GB: Agora sua mensagem final…

TZ: Em primeiro, o meu muito obrigado a todo pessoal da minha turma: Wilson, Inês, Jair, Odete, Carisco, Dina, César, Cleusa, Adriano, Edinho, Décio, Duda, Paulinha, Jairo, Patrícia, Paulo e o Maurício. Em segundo lugar, agradeço antecipadamente a todos aqueles que participarem de nossa III Revoada e de nossa Boca de Ouro. A GB agradeço não só em meu nome, mas por todos os nossos amigos, pela lembrança de levar a nossa mensagem e mostrar o trabalho de nossa região, coisa que até hoje, ninguém havia feito. Muito obrigado e um grande abraço para todos os verdadeiros baloeiros.

ZEPPELIN, A FAMÍLIA FESTEIRA 

A Gazeta do Balão agradece a cooperação da Zeppelin o que nos motiva ainda mais em prosseguir nosso trabalho.

Esta entrevista foi feita no dia 5 de Março de 1992

Gostou? Curta e Compartilha!

Mande seu Recado:

Copyright © 2006 / 2020 - Gazeta do Balão | Todos os Direitos Reservados - Permitida a reprodução com citação da fonte
error: Não copie, compartilhe!